Camp Brasileiro 1/8 Rally GT 2014

Regulamento
VI CAMPEONATO BRASILEIRO DE 1/8 RALLY GAME

A FEBARC promoverá nos dias 15 e 16 de novembro de 2014, na cidade do Natal/RN, na Pista da APARC localizada no Jiqui Country Clube, com endereço no Prolongamento da Av. Ayrton Senna, S/N – Nova Parnamirim – Parnamirim/RN – CEP: 59.090-970 – Natal/RN, a VI Edição do Campeonato Brasileiro de 1/8 Rally Game, categoria consagrada na Europa e que ganha cada vez mais adeptos no Brasil.

Introdução
O Campeonato Brasileiro de Rally 2014 será realizado em 1 Etapa, podendo cada participante utilizar tão somente um carro.
As hipóteses não previstas neste regulamento serão elucidadas pelo diretor de prova do evento, o qual possui total autonomia para promover quaisquer alterações no respectivo cronograma, objetivando a adequada execução deste.
As dúvidas serão dirimidas pelos integrantes da organização deste campeonato, os quais se postam a disposição para aclarar quaisquer questionamentos. Espera-se que este regulamento estabeleça aos pilotos e mecânicos as mesmas condições de competição, enaltecendo o melhor conjunto piloto/mecânico/carro.
Organização
Composição: 01 Diretor Geral, 01 Diretor Adjunto, 01 Diretor de Prova, 01 Diretor Técnico, 01 Cronometrista, 02 Fiscais de Box e 05 recolocadores.

Competência e atribuições
COMISSÃO ORGANIZADORA: Autoridade máxima do evento, a qual caberá a responsabilidade de tomar decisões em situações não previstas neste regulamento, sendo o representante oficial da organização desta competição e constituída pelos senhores Fábio Brennand e Paulo Costa.

Diretor geral – Sr. Fábio Brennand
É o representante oficial da organização do evento. Restam sob sua responsabilidade:
Supervisão geral do evento.
Última instância decisória de se promover ou não a etapa.
Diretor adjunto – Sr. Paulo Costa.
É o chefe e membro da comissão organizadora, restando sob sua responsabilidade:
Pagar pessoal e demais despesas mediante recibo e comprovantes;
Certificar-se das condições mínimas necessárias para a realização do evento;
Garantir o cumprimento do cronograma de prova.

Diretor de prova –
É a autoridade máxima durante a prova e deverá ter conhecimento do regulamento.
Restam, sob sua responsabilidade:
Aplicar o regulamento de maneira imparcial;
Montar e testar o sistema de cronometragem, bem como o sistema de som;
Montar os grids das tomadas de tempo e provas;
Seguir o cronograma de provas;
Verificar os sensores;
Manter as cargas dos sensores;
Aferir as condições da pista, juntamente com o representante dos pilotos;
Orientar e supervisionar os fiscais de box quanto à montagem dos equipamentos de vistoria técnica;
Orientar os gandulas;
Aplicar as eventuais penalidades e registrá-las no livro de atas;
Recolher e acondicionar de maneira adequada o equipamento de som;
Recolher os relatórios finais do cronometrista e entregá-los ao diretor geral, quais sejam:
Resultado geral das tomadas de tempo;
Resultados das provas semifinais e final;
Volta a volta da prova final;
Lista completa dos pilotos pagantes;
Relatório de providências para prova.

Diretor técnico – Sr. George Lyra.
É a autoridade máxima para aplicar as especificações técnicas deste campeonato, fazendo-o de maneira imparcial, com poderes para vistoriar, autorizar ou não autorizar qualquer carro para ser lacrado, garantindo o cumprimento do regulamento estabelecido para o evento, podendo desclassificar qualquer piloto cujo carro não atender às conformidades técnicas definidas para o evento. Poderá o diretor técnico, a qualquer tempo da prova (tomadas de tempo, semifinais e finais), requisitar qualquer carro para uma vistoria detalhada (inclusive a abertura de motor que poderá ser feita a qualquer tempo, inclusive sob pedido de vistoria feito por outro piloto, mediante protocolo definido), devendo o piloto e/ou mecânico responsável acompanhar a respectiva vistoria.
Restam sob sua responsabilidade a aplicação das especificações técnicas deste campeonato de maneira imparcial, além de:
Fixar o cronograma de prova em lugar visível para a sua adequada visualização por todos os pilotos, garantindo a sua execução, bem como aplicar as possíveis penalizações para os pilotos que o descumprir.
Garantir o cumprimento e ter em mãos o regulamento técnico e a classificação geral dos pilotos, auxiliando o diretor de prova na formação dos hits das tomadas de tempo.
Supervisionar e orientar os fiscais de box, caso necessário, durante as vistorias técnicas a qualquer tempo da prova;
Recolher os carros dos 1º, 2º e 3º lugares da prova final, mais 1 ( um ) carro a ser sorteado entre os demais participantes da prova final para a vistoria técnica, não permitindo o acesso ao carro por parte do piloto e/ou mecânico antes da respectiva vistoria.

Fiscais de box – Sr. Marcos Roberto e Sr. David.
Auxiliam o diretor de prova e trabalham sob sua orientação e supervisão, restando sob suas responsabilidades:
Isolar o local para vistoria técnica, caso necessário;
Efetuar a montagem e verificação dos equipamentos para vistoria técnica;
Executar a vistoria técnica e lacrar os carros, respeitando o regulamento, bem como acatar as deliberações do diretor técnico;
Montar as planilhas de vistoria dos carros;
Verificar os números dos carros;
Manter a ordem nos boxes;
Realizar as vistorias após término das provas / tomadas;
Auxiliar o diretor de prova na fiscalização dos pilotos;
Informar ao diretor de prova irregularidades e atitudes antidesportivas durante toda prova;
Recolher e acondicionar os equipamentos de vistoria técnica, de maneira adequada, evitando eventuais danos.
Cronometrista – Sr. Victor Martins.
É o responsável pelo sistema de cronometragem das provas, devendo ter conhecimento acerca de informática e do programa utilizado para a organização e aferição de resultados fornecidos pelo respectivo sistema.
Restam sob sua responsabilidade:
Montar o Sistema de cronometragem, juntamente com o diretor de prova;
Colocar o monitor nos boxes;
Verificar o adequado funcionamento do microcomputador, impressora, teclado, mouse e demais itens necessários;
Verificar a carga dos sensores;
Verificar o sinal dos sensores;
Verificar a adequação da rede elétrica;
Montar a lista de pilotos por grupos;
Montar a lista de frequências (caso haja alguma diferente de 2.4Ghz);
Montar os “hits” das provas, obedecendo à classificação dos pilotos no campeonato fornecida pelo diretor de geral;
Emitir e fixar as listas contendo os resultados no quadro de avisos;
Emitir ao final do evento, os relatórios de participantes e classificação final de todos os pilotos participantes em 02 vias e o “volta a volta” da prova final em 01 via e entregar ao diretor de prova;
Garantir a integridade e lisura dos registro;
Recolher e acondicionar de maneira adequada os equipamentos, evitando avarias de transporte e acomodação.
Compete-lhe ainda Informar ao diretor de prova sobre:
Ocorrência de frequências iguais;
Alterações significativas de tempo a menor;
Pane no sistema;

Recolocadores
Deverão trabalhar sob a responsabilidade do diretor de prova e fiscais de box sendo orientados por estes e aquele. Deverão estar identificados por números e devidamente paramentados com luvas e roupas de segurança. Serão os responsáveis pela reposição do carro na pista, transporte do carro até o box em caso de quebra ou pane, entregando-o ao fiscal de box e limpeza da pista se necessário.

INSCRIÇÕES
A inscrição para o Campeonato Brasileiro 2014 é individual, intransferível e não reembolsável, sendo o seu valor de R$250,00, devendo ser efetuada através do site: www.brasilrc.com e devem ser feitas até o dia 15 de outubro de 2014.

REGULAMENTAÇÃO DAS CORRIDAS
LIMITAÇÕES:
1- Apenas será permitido o uso de 2 jogos de pneus por cada piloto para este VI Campeonato de Rally Game 2014, a partir do dia 15/11/2014, os quais deverão ser lacrados no procedimento de VISTORIA do dia supra.
2 – Apenas será permitido o uso de 2 motores por cada piloto para este VI Campeonato de Rally Game 2014, a partir do dia 15/11/2014, os quais deverão ser lacrados no procedimento de VISTORIA do dia supra.
3 – Apenas será permitido o uso de 1 chassis por cada piloto para este VI Campeonato de Rally Game 2014, a partir do dia 15/11/2014, o qual deverá ser lacrado no procedimento de VISTORIA do dia supra.
4 – Apenas será permitido o uso de combustível com 25% de nitrometano em sua composição, o qual estará disponível para venda exclusivamente no local do evento, sendo tão somente este o combustível homologado para utilização neste Campeonato Brasileiro.
As atividades dos pilotos e mecânicos só poderão iniciar-se a partir das 07h00min e poderão estender-se, no máximo, até às 18h00min ou enquanto haja iluminação natural.
REGISTRO:
1 – A mesa de registro ficará aberta durante o sábado das 8horas às 17 horas. No domingo, ficará aberta SOMENTE das 7 horas às 8 horas.
2 – Todos os participantes deverão fazer o registro do piloto antes de iniciar as atividades na pista ou no box. A partir do sábado (15/11/2014), PARA QUE UM CARRO POSSA FAZER USO DA PISTA, SERÁ IMPERATIVA A VISTORIA E O LACRE DOS ITENS LIMITADOS.
3 – No momento do Registro, os pilotos receberão 03 adesivos com números para serem fixados no carro em suas duas laterais e na parte frontal (capo ou para brisa) e terão o chassi do carro lacrado.
VISTORIA TÉCNICA:
1 – É responsabilidade de cada piloto manter seu carro em conformidade com as regras estabelecidas para o Campeonato Brasileiro 2014.
2 – A mesa de vistoria técnica ficará aberta durante todo o evento. Porém, não existe a obrigatoriedade de realizar tal vistoria; contudo, somente será permitido efetuar a vistoria técnica, após o registro do piloto.
3 -O automodelo deverá ser apresentado para a vistoria técnica nos horários e sob os critérios estipulados e pelo cronograma do evento.
SOLICITAÇÃO DE VISTORIA TÉCNICA
1 – Caberá somente ao piloto participante solicitar ao Diretor de Prova vistoria técnica suplementar de qualquer carro. Para isso o piloto deverá estar participando da mesma categoria e deverá proceder da seguinte forma:
2 – Preencher formulário próprio;
3 – Pagar uma taxa no valor da inscrição da prova;
4 – Caso não seja procedente a reclamação, o valor de 50% do valor recolhido da taxa referente à vistoria será revertida em favor do piloto cujo carro foi objeto de vistoria.
5 – Caso seja procedente a reclamação, o Diretor de Prova desclassificará ou desqualificará o piloto cujo carro foi objeto de vistoria, constatando-se desconformidade com o regulamento vigente, e de acordo com a gravidade do fato. O requerente não arcará com qualquer custo da vistoria, sendo o valor pago pela taxa de vistoria reembolsado.
6 – A presença dos envolvidos durante a solicitação de vistoria e julgamento é obrigatória.
7 – A direção de prova também poderá realizar vistorias técnicas dirigidas a qualquer carro, quando ocorrer significativa discrepância dos tempos comparados entre pilotos do mesmo nível.
RADIO e FREQÜÊNCIA
1 – Todos os pilotos deverão deixar os rádios em parque fechado, com exceção os rádios de frequência modular.
2 – O piloto que não utilizar o sistema DSM de frequência deverá ter obrigatoriamente, duas frequências diferentes para a inscrição.
3 – Em caso da ocorrência de frequências iguais durante as tomadas de tempo, o Diretor de provas deverá chamar os pilotos e propor a troca de frequência dentro do espírito esportivo. Caso não ocorra a troca os pilotos deverão ser separados dos hits de tomadas.
4 – Nas provas semifinais e final a preferência absoluta é do piloto que estiver melhor classificado no campeonato, não cabendo recurso.
5 – No caso de troca de frequência a direção de prova concederá 10 minutos para o piloto realizar a troca.
I – QUANTIDADES DE PROVAS PELO NÚMERO DE INSCRITOS
1 – Até 10 pilotos – Uma Final. Classificam-se na ordem exata dos melhores tempos.
2 – Até 20 pilotos – Uma Final e duas Semifinais.
3 – Acima de 20 pilotos – Uma Final, duas Semifinais e Sub finais (tantas quantas forem necessárias no sistema de arvore). Grid´s de 10 carros, sempre subindo 3 para a sub final seguinte.
SENSORES
1 – Serão utilizados sensores tipo personal transponder AMBrc, e os pilotos que não tiverem os sensores personal AMBrc poderão alugar o sensor.
2 – Os sensores utilizados serão de total responsabilidade do piloto, mesmo os sensores alugados.
3 – Durante a prova, caso seja notado que o sensor não está marcando a volta, o responsável (ou mecânico) pela equipe do piloto envolvido deverá parar o carro no Box, e será verificada a seguinte possibilidade:
4 – Sensor do carro intacto. Atitude: Comunicar imediatamente ao fiscal, e retornar a pista.
5 – Sensor fora do carro (intacto). Atitude: Mecânico deverá recolocar o sensor com a prova em andamento, e retornar à pista.
6 – O piloto que não tiver o sensor deverá deixar um cheque caução e providenciar o aluguel do sensor junto a organização do evento (o número de sensores para locação é limitado, preservando a ordem de agendamentos de acordo com ordem de inscrição e solicitação de sensor)
7 – Ao final do evento o piloto que não devolver o sensor será desqualificado da prova em questão.
CORRIDAS
Treinos Livres
1- Serão realizados com grupos de até 15 pilotos.
2 – Será levado em conta o número de pilotos inscritos para a competição. O tempo total para os treinos livres deverá ser igual para todos os pilotos. Ex: Para 25 participantes, seriam: 03 baterias de 20 min., divididas pelo número de participantes. Portanto, uma bateria com nove pilotos e duas com oito pilotos.
Tomada de tempo: Poderá ser realizada com até 15 pilotos.

Duração da prova: 07 minutos
Serão realizadas 4 tomadas de tempo. Será considerada a melhor tomada de tempo para efeito de classificação. No caso de empate será considerada a segunda melhor tomada de tempo.
Antes do início de cada tomada de tempo a pista ficará aberta por 03 (três) minutos, somente para os integrantes do hit.
Formação de grid:
Até 10 pilotos: Final direta com grid ordenado pelos resultados das tomadas de tempo
Até 20 pilotos: Os pilotos são divididos em 02 semifinais através do seguinte critério:
1º colocado na tomada de tempo: 1º lugar semifinal A
2º colocado na tomada de tempo: 1º lugar semifinal B
3º colocado na tomada de tempo: 2º lugar semifinal A
4º colocado na tomada de tempo: 2º lugar semifinal B
:
:
20º colocado na tomada de tempo: 10º lugar semifinal B
Acima de 20 pilotos: Os 14 primeiros colocados na tomada de tempo são divididos em duas (2) semifinais, o restante dos pilotos será dividido em quantas subfinais forem necessárias.
Tempo das Provas
Sub-finais (Quartas de finais e Oitavas de finais): 20 minutos
Semifinais: 30 minutos
OBS: Após o término de uma semifinal, os carros participantes permanecerão em parque fechado, até o término da semifinal seguinte.
Prova Final: 45 minutos
O diretor de prova poderá alterar o cronograma da prova se houver necessidade para o bom andamento do evento.
Critérios de acesso
Para todas as subfinais até a formação dos grids das semifinais
– Os três primeiros colocados classificam-se para a subfinal acima. (para o exemplo acima, os três (03) primeiros colocados na oitava-de-final sobem para as quartas-de-final, posteriormente os três (3) primeiros colocados em cada quarta-de-final sobem para as semifinais).

Para o acesso a final
– Classifica os quatro (4) primeiros colocados de cada semifinal, e mais dois outros pilotos por índice técnico (2 pilotos mais bem classificados entre as duas provas semi finais), valendo o melhor tempo total de sua semifinal, independente da colocação final.
Adendo: Nas semi-finais, caso a pista tenha sido modificada por condições climáticas (chuva, etc) passarão para a final os 5 primeiros de cada Semi.
Posição no Palanque e Boxes
1 Para as tomadas de tempo, provas sub-finais e finais, os pilotos são obrigado a permanecer na ordem de largada, sendo obrigatório o acompanhamento dos mecânicos na mesma posição.
2 provas sub-finais e finais, os pilotos estarão livres para escolherem o seu posicionamento no palanque de acordo com a ordem de largada, isto é o piloto que largar em 1º lugar tem prioridade e assim por diante, sendo obrigatório o acompanhado, dos seus mecânicos nos boxe na mesma posição.
Situação de Chuva (ou Problemas no sistema de cronometragem)
SERÁ CONSIDERADA A SITUAÇÃO CHUVA QUANDO A PISTA NÃO TIVER CONDIÇÕES DE USO (COM MUITA ÁGUA QUE NÃO PERMITA A CORRIDA), CHUVA OU CHUVISCO LEVE CORRE NORMALMENTE.
Em situações de Chuva, uma prova é considerada completa somente se for realizada a prova final.
Na impossibilidade de realizar as tomadas de tempo, provas subfinais e final.
SÁBADO – Tomadas de tempo:
Em caso de chuva no inicio das atividades:
Em caso de chuva no inicio do dia, aguardar até o horário máximo de 16:30 horas, para dar o encerramento das atividades do dia. Em caso da chuva persistir durante o dia todo, para o DOMINGO o cronograma será alterado para que possam ser realizadas as tomadas de tempo, provas sub finais e provas finais.
Em caso da chuva ocorrer durante as tomada de tempo, a tomada de tempo deverá ser interrompida para preservar o principio de igualdade de condições a todos os pilotos.
A direção de prova aguardará 30 minutos para que a pista esteja seca novamente, para o reinicio das tomadas de tempo. No caso da chuva persistir a Serie de tomadas de tempo que foi interrompida será cancelada.

Domingo:
Interrupção das provas Sub Finais e Finais:
Em todas as situações em que ocorrer a interrupção de uma prova subfinal, semi final ou prova final por motivo de chuva, os carros ficarão em parque fechado, ate a liberação por parte do diretor de prova para reinicio das atividades, e as equipes terão 5 minutos para fazer a manutenção devida.
No caso de ter que ser interrompida a prova em andamento.
Com 50% ou mais da prova realizada – considera-se a posição na hora da interrupção como resultado final.
Até 20% da prova realizada – cancelar a prova e aguardar, no máximo, 60 minutos. Caso haja condições, após este tempo, haverá nova largada com tempo total de corrida.
Após 20% da prova realizada – interromper a corrida com manutenção da colocação dos pilotos. Aguardar 60 minutos e se houver condições, reiniciar a corrida com o “grid” na ordem do momento da interrupção, completando-se o tempo total ou, pelo menos, os 50% do tempo total de prova. Os resultados serão somados simplesmente e será declarado final de prova.
Se após 60 minutos não tiver condições para continuar, será encerrada.
Pane no Sistema de Cronometragem
Serão adotados os mesmos procedimentos para o caso de chuva. Caberá ao Diretor de Prova a decisão final.
Procedimento para os pilotos e mecânicos.
1 – Todos os participantes deverão comportar-se de maneira cordial, desportiva e ética, não sendo permitido palavrões, ofensas gerais ou pessoais e interferências no andamento da competição.
2 – Os mecânicos deverão se posicionar nos boxes correspondentes ao do piloto no palanque.
3 – Os pilotos deverão parar os carros no boxe correspondente ao seu mecânico.
4 – Receber os carros dos gandulas para reparos somente nas plataformas laterais dos boxes ou em área determinada.
5 – Recolocar os carros na pista de rolagem com a máxima atenção em relação a outros carros que possam estar entrando ou saindo dos boxes de forma a evitar acidentes ou obstruir outros carros.
6 – Abastecer o carro fora da área da pista de rolagem do Box.
7 – Limpar a pista com um pano no caso de derrame de combustível.
8 – Deixar a área dos boxes limpa e sem seus equipamentos e ferramentas.
9 – Entregar o carro e acompanhar a vistoria no final das tomadas de tempo e sub-finais.
10 – Adentrar nos boxes somente quando autorizado pelo Diretor de Prova.
Penalizações
Serão aplicados, pelo Diretor de Prova, aos pilotos ou membros de sua equipe quando do não cumprimento do regulamento.
Salvo as penalizações previstas que não cabe recurso, as demais caberão recurso, em formulário próprio, dirigido à Organização, resguardando assim o princípio da ampla defesa.
As penalizações serão divididas em:
1. Advertência Verbal
1. Stop & Go
2. Desqualificação
3. Desclassificação.
1 – Advertência Verbal
O Diretor de Prova comunicará a penalização da seguinte forma:
Piloto XXXX, você esta sendo advertido verbalmente por XXXXXXXX.
Enquadra-se nessa categoria de penalização:
Nos casos que não interfiram no desempenho dos pilotos adversários, como:
1 Obstruir, sem insistência, a passagem de piloto mais rápido;
2 Tocar um carro adversário de maneira brusca, sem que a mesmo sua posição;
3 Adentrar o box em velocidade exagerada.
2 – Stop and Go
O Diretor de Prova comunicará a penalização da seguinte forma:
Piloto XXXX, “Stop and Go”, você esta sendo penalizado por XXXXXXXX. Enquadra-se nessa categoria de penalização os casos que interfiram no desempenho dos pilotos adversários, ou em faltas consideradas graves, como:
1 Piloto retardatário obstruir, com insistência, a passagem de piloto mais rápido;
2 Usar termos de baixo calão (tanto o piloto quanto integrante de sua equipe);
3 Tocar um carro adversário de maneira brusca, acarretando a perda de posição do outro piloto;
4 Ao receber 02 advertências verbais no mesmo evento;
5 Falta de condições técnicas do equipamento e/ou pilotagem de forma a causar prejuízos (acidentes graves) aos demais pilotos;
6 Queima de largada (qualquer movimentação do carro antes da autorização de largada);
7 Resfriar o motor com qualquer produto. O piloto/mecânico que for flagrado pelos fiscais de Box resfriando o motor de seu carro com líquidos ou produtos gaseificados será automaticamente DESCLASSIFICADO.
8 Obstruir o fluxo nos boxes;
9 Parar os carros com os pés;
10 Realizar reparos na pista;
Como cumprir o Stop & Go.
1 O piloto deve entrar pela pista de rolagem do Box, parar o carro no seu Box, o seu mecânico irá levantar o carro por 2 segundos e o piloto retornará à pista.
2 A Direção de Prova somente abrirá a contagem após o mecânico levantar o carro do chão e, o mesmo, somente poderá largá-lo após autorização da Direção.
3 O piloto penalizado terá três voltas para cumprir o Stop and Go.
4 No caso de faltar menos de três voltas para o termino da prova, e o piloto não cumpriu sua penalização, o piloto terá acrescido 15 segundos ao seu tempo, sem direito a recurso.
3 – Desqualificação
1 Não pagamento da taxa de inscrição do evento;
2 Deixar de apresentar o veículo para a vistoria após solicitação do inspetor técnico seja nas tomadas de tempo e sub-finais ou final.
3 Reter o radio-controle nos boxes fora do horário permitido para recarga de baterias, depois de solicitado insistentemente pelo Diretor de Prova;
4 Reter o sensor depois de solicitado insistentemente pelo Diretor de Prova;
5 Levar o equipamento de partida (caixa de start ou similar) para o grid de largada.
6 As penalizações são acumulativas durante o evento. A tolerância máxima de penalizacao e de quatro (4) “stop and GO” durante o evento. Ao receber a quinta penalização o piloto estará desqualificado do evento.
4 – Desclassificação
1 Retirar o carro antes de finalizar a vistoria técnica após as tomadas de tempo, provas subfinal, semifinal e final.
2 Nos casos de agressões verbais descontroladas;
3 Nos casos de condutas irregulares intencionais durante o evento;
4 Pilotar de forma que interfira no resultado da corrida. Espera deliberada por outro carro será considerado como delito grave e resultará em imediata desclassificação.
5 Violar ou substituir qualquer parte do carro sem aviso e autorização da Direção da Prova;
6 Passar o sensor na antena de captação do sinal.
7 Insistir em manter o carro com algum problema técnico (Ex.: pipa solta ou quebrada, pneu rasgado ou descolado que interfira na estabilidade do carro, etc) na pista, colocando em risco a posição dos pilotos adversários.
8 No término da prova final nenhum piloto poderá entrar nos boxes com o seu carro, devendo parar no grid de largada, onde somente o Diretor de Prova ou seu assistente terá acesso aos carros.
Suspensão
1 – Nos casos de fraude intencional do regulamento (ex: troca de carro ou chassis sem permissão da direção de prova, troca de pilotos durante o evento);
Eliminação do Campeonato
2 – Nos casos de agressões físicas.
*O piloto ficará suspenso de qualquer atividade da FEBARC pelo período de 120 dias.
Protesto
Somente será aceito o protesto por escrito e com o formulário apropriado e encaminhado em mãos ao diretor de prova.

Prazos para encaminhamento do protesto:
1 Tomadas de tempo: 05 minutos após o término.
2 Provas subfinais: 05 minutos após o término.
3 Prova final: 05 minutos após o término.
Após o final do tempo previsto, não será aceito qualquer protesto e nem reclamações oriundas de pilotos e/ou mecânicos.
PREMIAÇÃO
Serão premiados os 5 primeiros colocados nesta edição – 2014.
1º lugar: será premiado com o Troféu Rotativo Personalizado da Categoria 1/8 Rally Game 1/8 GT + 1 Galão de combustível O´donnell 30% + 1 jogo de pneus GRP S3 + 2 velas C8TGH – Novarossi + 1 filtro de ar ON ROAD – Novarossi + 1 almotolia de combustível;
2º lugar: será premiado com o respectivo troféu + 2 velas C8TGH Novarossi + 1 filtro de ar ON ROAD – Novarossi + 1 almotolia de combustível + 1 tubo de combustível em silicone + 1kit molas longas para unir o motor.21 ao cotovelo – Novarossi + 1Kit gasket – Hudy;
3º lugar: será premiado com o respectivo troféu + 2 vela C8TGH Novarossi + 1 filtro de ar ON ROAD – Novarossi + 1 Kit gasket – Hudy;
4º lugar: será premiado com o respectivo troféu + 1 vela C8TGH Novarossi + 1kit molas longas para unir o motor.21 ao cotovelo – Novarossi;
5º lugar: será premiado com o respectivo troféu + 1kit molas longas para unir o motor.21 ao cotovelo – Novarossi; + 1 Kit gasket – Hudy.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS CATEGORIA 1/8 RALLY GAME
A categoria consiste em carros escala 1/8 Rally..
1. Para os modelos de correia, somente um (1) freio atuante no eixo de transmissão é permitido. Nenhum sistema de freios secundário ou individual para eixos dianteiro/traseiro ou independente é permitido. Para modelos com diferencial central é permitido o uso de discos de freios (até 4 discos) instalados no diferencial central. Ficando proibido o uso de sistema de freios nas rodas.
2. Permitido câmbio de apenas 1 velocidade.
3. Todo carro deve obrigatoriamente possuir embreagem com desengate e um sistema de freio capaz de parar o automodelo.
4. Permitido somente o uso de motores 3.5cm³ (motor .21 de preparação livre), sendo refrigerados a ar, movidos exclusivamente a combustão de uma mistura de metanol + óleo + nitrometano, somente 2 tempos, de preparação livre, limitados à quantidade de 2 unidades por piloto.
5. Peso Mínimo: sem combustível (transponder incluso): 3.400 gramas.
6. Tanque: A capacidade máxima do tanque de combustível (incluindo mangueiras, filtros, etc.): 125mL. O equipamento de aferição do volume de combustível pode ter a tolerância de +/- 1ml. Não poderão ser colocados objetos soltos no tanque para que este não exceda a capacidade máxima. Caso isto ocorra, o piloto será DESCLASSIFICADO da competição, não cabendo recurso.
7 – Qualquer tanque que não passar na vistoria técnica deverá ser aferido novamente após um período de resfriamento de 20 minutos. Este período somente será necessário em caso de temperatura ambiente superior a 20ºC.
Obs. O tanque NÃO poderá ser retirado do carro, devendo ser aferido novamente após o período de descanso.
8. Bolhas e recortes permitidos: tipo sedan Turismo, 2 ou 4 portas e também pode ser usada a bolha Protótipo para Rally Game (o motor deverá ficar totalmente na parte interna da carroceria).
O pára-choque dianteiro em material flexível e sobre o pára-choque poderá ser instalada uma espuma do tipo EVA (opcional).
A bolha deverá ser fabricada com material flexível e deverá ser devidamente pintada. Todas as janelas devem ser totalmente transparentes sem qualquer pintura.
A parte traseira da carroceria não deve ser cortada acima de 80.00mm medidos a partir do carro suspenso em blocos de 10.00mm. Faróis, lanternas, grades, tomadas de ar e janelas devem contrastar com a pintura do modelo. Para os pilotos que utilizarem as bolhas tipo protótipo a parte trazeira da carroceria é de livre recorte.
São permitidas somente as seguintes furações na bolha:
1. Um (1) furo de captação de ar no pára-brisa dianteiro de dimensão máxima de 60.00mm. Este furo não deve adentrar ao teto ou do capô do automodelo.
2. Furo para acesso a vela de diâmetro máximo de 40.00mm. Porem não pode ser interligado a nenhum outro furo.
3. Ambas as janelas laterais dianteiras e o pára-brisa traseiro podem ser removidos para ventilação, exceto as janelas laterais traseiras que devem permanecer intactas.
4. Furo para reabastecimento de diâmetro máximo de 50.00mm (Este furo deverá estar posicionado acima do tanque de combustível.
5. Pequenos furos para saída de gases do escape, transponder e antena de rádio poderão ser feitos.
6. Nenhum outro furo é permitido.
7. Santo-Antônio deverá ficar por dentro da carroceria.
8. Nenhuma parte do carro, exceto a saída do escape, postes de fixação da carroceria e o tubo de antena podem estar para fora da carroceria.
9. Não é permitido qualquer acessório aerodinâmico de qualquer natureza sob a carroceria.
Dimensões gerais
Todas as medidas especificadas são valores máximos ou mínimos.
DIMENSÕES Mínimo (mm) Máximo (mm)
Largura do carro 280.00 a 310.00
Largura do aerofólio não pode exceder a largura da carenagem
Corda do aerofólio – 60.00
Aerofólio
1. Uma (1) asa ou um (1) spoiler pode ser instalado no carro (caso o modelo original em escala real possuir, será permitido fazer o mesmo), ambos devem ser fabricados com material flexível. A medida da ASA não pode ultrapassar a largura da carroceria.

– Pneus
Pneus de borracha – limitados a 2 jogos por piloto, a serem lacrados na vistoria. É proibido o uso de qualquer aditivo para pneu.
Combustível:
metanol + óleo + nitrometano limitado a 25%.
Somente dois (2) servos são permitidos.
Não permitido:
1. Freio independente nas duas ou nas quatro (4) rodas.
2. Refrigeração líquida do motor.
3. Sistemas hidráulicos.
4. Mais do que dois (2) servos.
5. Câmbio com mais de uma marcha.
6. Não é permitido o uso de giroscópios eletrônicos.
7. Não é permitido o uso de travas de engate rápido nas rodas. Para o travamento das rodas é permitido somente o uso de parafusos ou porcas auto-travantes e/ou parafusos desde que não excedam a largura da roda.
TELEMETRIA
Não é permitido o uso de qualquer dispositivo eletrônico, exceto os seguintes:
Dois canais do receptor que serão usados para operar direção, acelerador e freio.
Quaisquer sistemas de gravação de dados poderão ser usados somente até o final dos treinos livres.
O uso de dispositivos de controle de tração, suspensão ativa e quaisquer controles de direção auxiliado por giroscópio/ sensor de força G é estritamente proibido. São permitidos somente sensores para coleta de dados e não para ajuste da performance do carro em movimento.
PARTICIPAÇÃO DE PILOTOS ESTRANGEIROS
A FEBARC autoriza a inscrição de até 2 pilotos estrangeiros no VI Campeonato Brasileiro de 1/8 Rally Game; porém, será declarado campeão brasileiro o primeiro brasileiro nato, naturalizado ou estrangeiro com residência oficial estabelecida no Brasil.
CRONOGRAMA
SEXTA-FEIRA (14/11/2014): TREINOS LIVRES;
SÁBADO (15/11/2014):
Período da manhã: SERÃO 2 TREINOS CRONOMETRADOS, VALENDO O MELHOR (no período da manhã);
Período da tarde: SERÃO 4 TOMADAS DE TEMPO, VALENDO A MELHOR
DOMINGO (16/11/2014)
SEMIFINAIS E FINAL (Cronograma será divulgado após fechamento das inscrições).

Deixe uma resposta

BIGTheme.net • Free Website Templates - Downlaod Full Themes