Campeonato Brasileiro Categoria On Road – Escala 1/5 – Regulamento Geral

Regulamento de Corrida – Categoria On Road – Escala 1/5


INTRODUÇÃO

A organização deste campeonato de automodelos rádio-controlados, adota como princípio as normas da IFMAR (www.ifmar.org). Porém, algumas modificações foram feitas neste regulamento e prevalecerão sobre esta Associação, com o intuito de adaptar estas regras à nossa realidade.

Quaisquer hipóteses não previstas neste regulamento serão decididas pela Comissão Organizadora do evento, o mais rápido possível.

A Comissão Organizadora é autônoma, independente e soberana em suas decisões.

Todos os pilotos que se inscreverem neste Campeonato estão cientes disto, aceitam tal como verdade e abdicam de todo e qualquer recurso em qualquer instância, por mais privilegiado que seja.

S U M Á R I O

01 – Organização e Regulamentação

02 – Local da Prova

03 – Calendário

04 – Circuito

05 – Inscrições

06 – Cronograma

07 – Prova final

08 – Penalizações

09 – Eliminação do evento

10 – Situações especiais

11 – Protesto

12 – Regulamento Técnico

1 – Organização e Regulamentação das Corridas

1.1 – Comissão Organizadora e Regulamentadora

Alexandre Rodrigues

Rodrigo Stange

Joares Felisberto Junior

Maicom Batista

1.2 – O piloto, antes de iniciar suas atividades na pista, deverá:

a) retirar seu crachá com a organização da prova

1.3 – Inspeção Técnica

Será realizada, caso ocorra o protesto por parte de algum piloto participante.

1.4 – Freqüências de Rádio

Cada piloto deverá inscrever de preferência duas, e no mínimo uma freqüência

Em caso de ocorrência de freqüências iguais, o Diretor de prova deverá chamar os pilotos e propor sua troca, dentro do espírito esportivo. Caso isso não ocorra, será feito sorteio, até a definição do Grid. Isto definido, o critério será o de melhor colocação no Grid.

1.4.1 – Todos os rádios serão retidos no momento da inscrição. Os pilotos somente poderão usá-los, quando lhes for permitido o acesso ao palanque de pilotagem. Quando terminar a prova que o piloto estiver participando, o mesmo deverá colocar seu rádio de volta no respectivo lugar, não podendo descer do palanque com ele. Caso isso ocorra, o piloto será desclassificado da prova que tenha participado. O rádio somente poderá ser manuseado fora do palanque para reparo ou troca de pilhas/baterias, ou com autorização prévia do diretor de prova, em casos excepcionais.

1.4.2 – Será excluído do Campeonato o piloto que efetuar a troca de freqüência, sem comunicar antecipadamente à direção de prova;

1.5 – Posição no palanque e boxes

A posição no palanque será de livre escolha. Não havendo concordância entre os pilotos, será feito sorteio até a definição do Grid. Isto definido, o critério será o de melhor colocação no Grid.

1.6 – Sensores de cronometragem (Transponder)

1.6.1 – Serão utilizados os do Clube :

O piloto poderá instalá-lo em qualquer lugar do seu carro.

Observação:

É obrigação do piloto instalar o sensor em um local seguro e que não possua entre ele e a pista nenhuma peça de alumínio/carbono, pois elas diminuem a eficiência do mesmo.

§ único – a prova só será parada por pane “geral” do sistema.

2 – Local da prova

Clube de Modelismo Asas do Vale

3 – Calendário

Dias 18,19 e 20/04/2009, com prova única em 20/04/2009, conforme cronograma.

4 – Circuito

O circuito a ser utilizado será o Oficial no sentido anti-horário.

5 – Inscrições

5.1 – As inscrições poderão ser feitas até o dia 17/04/2009, pelo site ou por e-mail, a um custo de R$ 200,00 (duzentos reais) por inscrição, ou no local da prova.

5.2 – A inscrição é individual e intransferível;

5.3 – o valor não será devolvido caso o piloto tenha problemas e não consiga participar da corrida;

Observação 1:

Nos dias reservados à realização do Campeonato, a Direção do Clube isentará os pilotos participantes, que não são sócios do Clube, de pagarem a taxa de utilização da pista.

Observação 2:

Lembramos que, para qualquer tipo de atividade no setor de automodelismo (on e off) e em qualquer dia, o piloto deve sempre, antes de iniciar atividades, procurar a organização da prova.

6 – Cronograma

6.1 – 18/04/2009 – sábado:

Treinos livres, não cronometrados, com controle de freqüência sob responsabilidade dos pilotos.

6.2 – 19/04/2009 – domingo:

a) Hits Classificatórios – cronometrados, com controle de freqüências pela direção de prova :

– 10:00 horas

– 10:30 horas

– 11:00 horas

– 11:30 horas

– 14:00 horas

– 14:30 horas

– 15:00 horas

– 15:30 horas

– 16:00 horas

– 16:30 horas

b) Os Hits serão de 5 (cinco) minutos de aquecimento + 10 (dez) minutos de corrida;

c) Os 4 (quatro) melhores classificados sobem direto para a final;

6.3 – 20/04/2009 – segunda-feira:

a) Duas Semi-Finais – cronometradas, com controle de freqüências pela direção de prova:

– 10:00 horas

– 11:00 horas

b) As Semi-Finais serão de 5 (cinco) minutos de aquecimento + 20 (vinte) minutos de corrida;

c) Destas duas Semi-Finais sairão 6 (seis) classificados para a Prova Final:

c-1) campeão e vice de cada classificatória;

c-2) 5º (quinto) e 6º (sexto) melhores tempos das classificatórias.

7 – Prova Final

a) cinco minutos de aquecimento de pneus;

b) o Diretor de prova anunciará o final do aquecimento de pneus e os pilotos deverão terminar a volta já aberta e alinhar na sua posição de largada no grid;

c) quando o último carro parar no seu ponto do grid, o diretor abrirá a contagem regressiva de dez (10) segundos. Os pilotos deverão aguardar o “start” do Diretor de prova para a largada;

d) o grid será no estilo formula 1

e) a duração da prova será de trinta (30) minutos corridos;

f) não será permitido o reabastecimento durante a prova;

7.1 – Solicitação de Tempo

a) o pedido de tempo será permitido somente antes da prova final, para reparo de equipamento, que será de dez (10) minutos;

b) somente um (1) pedido de tempo será acatado, para todos os pilotos;

c) o pedido de tempo será acatado desde que seja solicitado até três (3) minutos antes do início da prova e os três (3) minutos que faltavam para o início da prova, serão acrescidos aos dez (10) minutos de tempo. Portanto, a prova somente terá sua largada após treze (13) minutos.

d) durante o período de tempo, a pista ficará fechada.

e) o piloto que fizer a solicitação deverá largar na ultima posição e o seu lugar ficará vago no grid. Na impossibilidade de retornar ao grid a tempo da nova largada, deverá largar do seu Box, após a autorização do fiscal.

f) ao final do período de tempo, o Diretor de prova iniciará novo procedimento de largada;

8 – Penalizações

Serão aplicadas pelo Diretor de Prova aos pilotos, quando do não cumprimento do regulamento.

As penalizações serão divididas em:

8.1 – Advertência Verbal:

O Diretor de Prova comunicará a penalização da seguinte forma:

– Piloto {nome}, você está sendo advertido verbalmente por {motivo}.

Enquadra-se nessa categoria de penalização os casos que não interfiram na performance dos pilotos adversários, como:

a) obstruir, sem insistência, a passagem de piloto mais rápido (não utilizada para efeito de penalização);

b) tocar um carro adversário de maneira brusca, sem que este perca sua posição;

c) acidentar-se por entrar no Box em velocidade exagerada;

8.2 – Time Penalty:

O Diretor de Prova comunicará a penalização da seguinte forma:

– Piloto {nome}, “Time Penalty”, você esta sendo penalizado por {motivo}.

Enquadra-se nessa categoria de penalização os casos que interfiram na performance dos pilotos adversários, ou em faltas consideradas graves, como:

a) piloto retardatário obstruir, com insistência, a passagem de piloto mais rápido;

b) usar termos de baixo calão;

c) tocar um carro adversário de maneira brusca, acarretando a perda de posição do outro piloto;

d) ter recebido uma advertência verbal no mesmo dia da corrida;

e) falta de condições técnicas do equipamento e/ou pilotagem de forma a causar prejuízos (acidentes graves) aos demais pilotos;

f) queima de largada (qualquer movimentação do carro antes da autorização de largada);

g) obstruir o fluxo nos boxes;

h) parar o carro com os pés;

i) realizar, na pista, reparos no carro;

j) pilotar imprudente e perigosamente (a critério da Direção de Prova), de forma que interfira no resultado da corrida.

8.3 – Como cumprir o Time Penalty:

a) o piloto deve entrar pela pista de rolagem dos boxes em velocidade compatível com a área de boxes (velocidade baixa), parar por 10 segundos no seu Box e após a autorização do Diretor de prova, retornar à pista;

b) o piloto penalizado terá três (3) voltas para cumprir o Time Penalty;

c) caso falte menos de três (3) voltas para o término da prova e o piloto ainda não cumpriu sua penalização, o piloto terá acrescido vinte (20) segundos ao seu tempo;

8.4 – Desclassificação:

a) casos de irregularidades na vistoria técnica após a prova, por protesto de algum piloto;

b) após o terceiro “Time Penalty”, durante a competição;

c) deliberada obstrução de outros carros na tentativa de influenciar no resultado da corrida;

d) nos casos de agressões verbais;

e) insistir em manter o carro com algum problema técnico na pista, colocando em risco a posição dos pilotos adversários.(Ex:pipa solta/quebrada, pneu rasgado ou descolado, que interfira na estabilidade do carro, etc.)

f) quando o piloto utilizar a pista fora do horário estabelecido pela organização do campeonato.

9 – Eliminação dos eventos

No caso de agressão física.

10 – Situações especiais de corrida

10. 1 – Interrupção de corrida

Caso a corrida seja interrompida por mais de 60 minutos, por motivos fora do controle dos realizadores, o Diretor de Prova juntamente com representantes da organização de prova e sem interferência dos pilotos, poderão decidir por cancelar a etapa.

10.2 – Pane no sistema de cronometragem:

Aguardar até uma (1) hora antes de reiniciar o evento. Caso persista o problema, a decisão ficará a cargo da Comissão organizadora.

10.3 – Pane no sensor de um dos carros:

É obrigação do piloto, instalar o sensor em um local seguro e que não possua entre ele e a pista nenhuma peça de alumínio/carbono, pois elas diminuem a eficiência do mesmo.

§ único – a prova só será parada por pane “geral” do sistema.

10.4 – Situações de mau tempo:

Só haverá cancelamento de prova por motivo de mau tempo (chuva), com a votação de 50% (cinqüenta por cento) + 1 (mais um) dos pilotos presentes na pista, no dia da etapa.

10.5 – Em caso de cancelamento da Prova Final, valerão os tempos da classificatória para a formação do grid, como resultado final do campeonato.

11 – Protesto

Somente serão aceitos protestos por escrito e encaminhados em mãos ao Diretor de prova ou seu assistente.

11.1 – Prazo para encaminhamento dos protestos:

a) cinco (5) minutos após o término = nas classificatórias (Hits e Semi-Finais)

b) dez (10) minutos após o término = na prova final

11.2 – Protestos contra fraudes no regulamento técnico serão aceitos e verificados mediante o pagamento de uma taxa de R$ 100,00 (cem reais) por protesto. Caso o protesto seja válido o valor ficará no caixa da categoria, caso contrário ficará com o protestado.

11.3 – No caso de protestos contra resultados, o responsável pela cronometragem e o Diretor de Prova verificarão o(s) resultado(s) questionado(s) e decidirão a(s) questão(ões).

11.4 – A Direção de Prova também poderá realizar vistorias técnicas dirigidas a qualquer carro quando ocorrer significativa discrepância dos tempos comparados entre pilotos do mesmo nível, com as mesmas conseqüências anteriormente descritas.

11.5 – A Organização não será obrigada a atuar sobre tais queixas, mas estudará seriamente uma resposta, caso seja inquirida.

11.6 – Protestos contra as decisões da Comissão Organizadora deverão ser encaminhados a um dos membros desta Comissão, depois do evento e por escrito.

§ único: a presença dos envolvidos durante um protesto é obrigatória.

12 – Regulamento Técnico

12.1 – motor 23W e 24W serie nova, dois (2) tempos, até quatro (4) janelas, sem nitro e sem turbo;

12.2 – câmbio somente de uma velocidade;

12.3 – está liberado o uso de todos os tipos de pipa (observar limite de ruídos), mas somente serão aceitas pipas com “muffler” (boró);

12.4 – todos os carros devem ter um (1) sistema de freio operacional capaz de parar o carro e um sistema de embreagem capaz de deixar o carro parado com motor ligado sem o acionamento do freio.

12.5 – carroceria tipo Turismo (Sedan,Coupe), nas versões duas (2) e quatro (4) portas;

§ único – não serão permitidas carrocerias “protótipo”.

a) a carroceria deve ser feita de um material flexível e deve ser pintada corretamente. As janelas devem ser transparentes, semitransparentes ou pintadas com cores contrastantes com as do carro;

b) todas as janelas poderão ser abertas, respeitando-se o tamanho do vidro, com exceção do Pára-brisas dianteiro que só poderá ter uma abertura (mínima) para passagem da antena do receptor;

c) dentro da carroceria não serão permitidas modificações ou ajustes aerodinâmicos de quaisquer natureza;

12.6 – aerofólio :

a) altura : não poderá ficar acima da linha do teto do carro;

b) largura : não poderá ultrapassar as laterais da bolha;

12.7 – o pára-choque dianteiro tem que seguir o contorno do corpo do carro e deve ser construído para minimizar danos resultados de batidas. O pára-choque deve ser feito de borracha de espuma ou um material plástico flexível;

12.7 – nenhuma parte do carro pode sair para fora da bolha, quando visto de cima;

§ único – exceção feita aos pneus traseiros que, devido ao “toe”, poderão ficar com parte traseira aparecendo;

12.9 – a antena do receptor deve ser flexível. Não é permitido carbono, GRP, aço, etc…;

12.10 – o uso de giroscópios eletrônicos não é permitido;

Deixe uma resposta

BIGTheme.net • Free Website Templates - Downlaod Full Themes